Primeiro Vinho de ânfora do Brasil - Cota com 2 garrafas de 750ml


Por:
R$ 549,00

ou 2x de R$ 274,50 Sem juros
Quantidade
569 COTAS DISPONÍVEIS COM LIMITE DE UMA COTA POR CLIENTE

O projeto é inédito no Brasil e chega com a proposta de oferecer um vinho único e surpreendente, fermentado em recipientes de terracota – ânforas - produzidos com a argila do solo da propriedade da Lidio Carraro. O vinho da Safra 2018 é um corte das variedades Merlot, Pinot Noir e Nebbiolo, e expressa a filosofia purista da vinícola instalada no Vale dos Vinhedos.

A vinícola está disponibilizando 600 cotas de duas garrafas, com limite de uma cota por CPF. Uma oportunidade única para quem aprecia vinhos Premium e Ultra Premium, feitos para colecionadores. “Estabelecemos duas garrafas pensando na experiência do apreciador que pode abrir e degustar a primeira, deixando a segunda para mais tarde. Assim, será possível acompanhar a evolução do vinho”, explica o enólogo. A previsão é de que o vinho seja entregue em 2020. A venda é feita com contrato de compra antecipada, que será enviada no e-mail do comprador após finalizar o pedido.

Idealizado pelos irmãos Giovanni Carraro, enólogo responsável e Diretor Técnico, e Juliano Carraro, enólogo e Diretor Comercial, o projeto avança na busca de vinhos que mantenham sua expressão autêntica, desta vez com uma porção adicional de terroir, literalmente. “A ideia nasceu do desejo de buscar a máxima relação entre as uvas e o solo do nosso terroir. Por isso, extraímos a argila dos nossos vinhedos”, esclarece Juliano Carraro. Cozidas a 1.200°C, as ânforas foram transformadas em cerâmica não vitrificada. O processo de fabricação das ânforas foi conduzido por uma oleira gaúcha.

A identidade, corpo e complexidade das variedades Merlot, Pinot Noir e Nebbiolo, que permitem destacar a mineralidade que o contato com as ânforas pode proporcionar, foram determinantes na escolha das uvas. “Inspirado no conceito purista de resgate à essência, estas uvas buscam refletir o contato íntimo do solo com a identidade dos vinhos para a expressão do terroir em sua máxima pureza. Nossas ânforas mantém a porosidade do material natural”, comenta o enólogo Giovanni Carraro. 

O processo de elaboração

Cada variedade fermentou separadamente nas ânforas (são duas ânforas, cada uma com capacidade 500 litros) por um período de 12 a 25 dias, permanecendo por mais 20 dias para finalização da fermentação malolática. Em 100% do processo, foram utilizadas leveduras naturais ou “indígenas”. Depois de seis meses de evolução os vinhos foram mesclados em justas proporções, buscando valorizar características relevantes da cada casta. “É possível perceber a evidência da mineralidade agregada pela ânfora”, relata o enólogo responsável. O corte passou por pequenos tanques de aço para proporcionar o resfriamento, ajudando na limpidez por processo natural de decantação. Hoje, o produto encontra-se nas ânforas para afinamento e enriquecimento da sua complexidade, onde permanecerá por 90 dias. O vinho ainda fará mais um estágio de 45 dias nas ânforas antes de ser engarrafado, devendo permanecer por pelo menos 12 meses na vinícola antes de ser disponibilizado ao comprador.

Para mais informações sobre o primeiro vinho de ânfora do Brasil, entre em contato através do telefone (54) 2105 2596 ou pelo e-mail clube@lidiocarraro.com.

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.

Características